NOTÍCIA


Crédito: Divulgação

Occitanie

PARA CONHECER - VINÍCOLAS

Occitanie, a mais nova fronteira do vinho francês


FRANÇA - POR GILVAN PASSOS - A França é o país mais escolado do mundo do vinho. Sua tradição e história são referências, mesmo para os países de grande tradição vinícola do velho mundo. A hegemonia francesa transformou a Cabernet Sauvignon e outras tantas uvas (francesas) em castas internacionais, popularizou o uso da barrica bordalesa (barrica de carvalho francês de 225 litros de Bordeaux), fez do flüte (taça de Champagne), a taça do espumante mundo afora, internacionalizou o uso de suas garrafas e taças, além de influenciar métodos, técnicas e estilos de produção de vinho nos quatro cantos do mundo.
Mas além de tradição, a França também é inovação. Suas 14 regiões vinícolas oficialmente conhecidas, agora são 15. Uma reestruturação de denominações (appellations) do Sul (sudeste e sudoeste), fizeram surgir a mais nova fronteira do vinho francês, a Occitanie.

Dos Pireneus ao Mediterrâneo, os vinhedos de Occitanie espalham-se por quase 265.000 hectares de videiras, distinguindo-se por um número de nomes sem equivalentes em todo o mundo. São cerca de cinquenta Denominações de Origem Protegida (DOP), e mais de trinta Indicações Geográficas Protegidas (IGP), que englobam esta região do sul da França.
Ostentando influências oceânicas no Oeste, ou um clima mediterrâneo no Leste, os vinhedos de Occitanie oferecem agora a maior variedade de vinhos de denominação no mesmo território, sendo atualmente a primeira região vinícola do mundo em área cultivada e número de appellations (denominações).

Quanto a seus estilos dos vinhos, suas tipologias, e as variedades de uvas usadas, é necessário distinguir entre vinhos do Sudoeste e vinhos do Sudeste, porque as abordagens são muito diferentes. No Sudoeste, as vinhas estão bem localizadas e separadas nos territórios (Gaillac, Cahors, Fronton, Côtes de Gascogne etc). Cada território cultiva uvas próprias e a tendência é encontrar variedades de uvas antigas e nativas (Malbec em Cahors, Négrette em Fronton etc). O clima é influenciado pela proximidade do Oceano Atlântico e é temperado pela proximidade dos Pirineus.

Crédito: Divulgação

Occitanie


No Sudeste, as vinhas são contíguas entre si, ao redor do Golfo do Leão, entre o Maciço Central e o Mediterrâneo. O clima e as castas são tipicamente mediterrâneos, havendo também Carignan, Mourvedre, Syrah etc. Há poucos vinhedos classificados com uvas indígenas (nativas), são antes os solos, relevos, posição em relação ao mar, manejo vitícola e técnicas vinícolas, que fazem a diferença entre os vinhos.

Mas o mais interessante dessa nova fronteira do vinho francês, é a excelente relação preço-prazer que os vinhos apresentam. Diferentemente de regiões clássicas como Bordeaux, Bourgogne e Champagne, em que o prestígio internacional dos vinhos elevou até mesmo os preços dos vinhos mais comuns, na Occitanie, que é uma região emergente, o vinho vale quanto pesa, e em muitos casos bem menos, permitindo ao bom apreciador verdadeiros achados.

Ainda são raros por aqui os vinhos que trazem no rótulo o nome Occitanie, mas algumas denominações já são conhecidas a exemplo de Madiran, Cahors etc. No entanto, há projetos em andamento, destinados a fazer com que estes vinhos cheguem ao mercado brasileiro, e eu estou pessoalmente envolvido num destes projetos, porque defendo que é perfeitamente possível apreciar bem o vin de France, pagando um preço justo.


Gilvan Passos (de Natal) é consultor e autor do livro Despertar para o Vinho


Mais...
ComentarTirar
Dúvida
Seguir
Por
E-Mail
Ver
Mais
Notícias
Ver
Produtos
e Livros

PUBLICAÇÃO DE 31 DE AGOSTO DE 2018


Ver mais notícias


Compartilhar

Tags  para conhecer, vinícolas, de los passos, frança, , frança


Pesquisar no Vinho&Cia

Seguir o Vinho&Cia nas redes sociais

    

  © ConVisão | Desde 1991