NOTÍCIA


Crédito: Álvaro Cézar Galvão

A Enoteca D'Italia só importa vinhos nas embalagens Bag-in-Box

O QUE BEBER - QUE VALE A PENA

Chegam ao Brasil vinhos italianos nas racionais e boas embalagens BIB


ITÁLIA - POR ÁLVARO CÉZAR GALVÃO - Sempre fui um entusiasmado fã da embalagem chamada Bag-In-Box, ou BIB como alguns a chamam. Nela o vinho se encontra dentro de uma bolsa plástica flexível acondicionada dentro de uma caixa de papelão, madeira, plástico, tambor, container, etc.

É utilizada também para embalar xarope para refrigerantes, água, vinho, leite e derivados, óleo comestível, frutas e vegetais, produtos químicos de uso industrial e agrícola. Cada tipo de bolsa tem sua própria especificação para prover as necessidades dos produtos que receberá: pode incluir bolsas de até três camadas de plásticos, como polietileno, nylon (para maior resistência), poliéster metalizado (como barreira contra oxigenação), entre outros.

Já fiz algumas matérias e artigos sobre o tema, e vejo que agora ela começa a se tornar recorrente em conversas entre alguns estudiosos e apreciadores, o que me deixa feliz, pois mostra que o “preconceito” está sendo vencido pelo conceito e pela cultura vínica. Para mim, o maior problema da BIB é quando dentro dela há vinho ruim, de baixa qualidade, o que a torna por vezes vilão para sempre; de resto, só tem vantagens.

Inúmeras razões poderia eu listar para se consumir vinhos neste tipo de embalagem, seja em casa ou mesmo em bares, restaurantes e hotéis, pois propicia que o vinho permaneça organolepticamente e sensorialmente íntegro por muito mais tempo, já que não há a entrada de oxigênio em seu interior.

Um vinho branco jovem, por exemplo, sabemos não durar mais do que duas a três safras, no máximo, quando envasado em garrafas transparentes; já em um Bag-In-Box o seu tempo poderá ser prolongado, pois estará, quando guardado convenientemente, em ambiente muito mais seguro, sem iluminação, cheiros, e oxigenação. Para vinhos em taças, então, que facilidade: o que sobra no Bag-In-Box é aproveitado totalmente.

No transporte tem a economia de espaço: para se ter uma ideia, um caminhão que transporta 16 pallets tem capacidade para 6.780 litros de vinho em garrafas de 750ml e 17.600 litros em BIBs de 5 litros.

A embalagem possibilita novas formas de consumo do produto, a um preço reduzido em cerca de 30%. Além do menor custo, proporciona armazenamento prático, validade de até 60 dias após aberta e facilidade de carregar.

Dados que obtive faz alguns anos já apontavam que cerca de 30% de todo o vinho comercializado no país seria em Bag-In-Box.


VINHOS ITALIANOS EM BAG IN BOX

Conheci uma importador ousada, e digo ousada porque, ao menos por agora, suas importações são somente neste tipo de embalagem, a Enoteca D’Italia, que oferece vinhos de qualidade, italianos como o nome sugere, em embalagens de até 3 litros.

Entre as variedades disponíveis estão tintos Bardolino DOC, Primitivo IGT, Negroamaro IGT e Vino di Tavola VDT; brancos Pinot Grigio IGT, Soave DOC, Vino di Tavola VDT; e rosé Bardolino Chiaretto DOC. Mas consulte o site, que é bem completo.

Provei e gostei do branco Pinot Grigio, que é muito bom. Também provei dois tintos: o Primitivo, e o Negroamaro, mas o de que mais gostei foi o Negroamaro, até porque não se apresentou tão “doce” como costuma ser (não é de açúcar residual, é da própria uva).

Recomendo, ao menos, que provem. Até o próximo brinde!

Enoteca d’Italia
www.enotecaditalia.com.br


Álvaro Cézar Galvão (de São Paulo), o engenheiro que virou vinho, é autor do site Divino Guia


Mais...
ComentarTirar
Dúvida
Seguir
Por
E-Mail
Ver
Mais
Notícias
Ver
Produtos
e Livros

PUBLICAÇÃO DE 21 DE MARÇO DE 2018


Ver mais notícias


Compartilhar

Tags  o que beber, que vale a pena, enoteca d'italia, itália, , itália


Pesquisar no Vinho&Cia

Seguir o Vinho&Cia nas redes sociais

    

  © ConVisão | Desde 1991